quinta-feira, julho 06, 2006

Hélio Vieira Quartin, destacado lutador da liberdade

Hélio Vieira Quartin, destacado lutador da liberdade, convicto democrata e distinto dirigente associativo, radicado em Almada desde o princípio dos anos 50, nasceu em Lisboa no dia 21 de Novembro de 1916. Ainda jovem, frequenta a Escola Industrial Marquês de Pombal, destacando - se como uma pessoa atenta ao mundo que o rodeia. É assim que com o apoio de outros alunos e de professores, funda e dirige a Caixa Escolar com Cantina e Actividades Desportivas. Ainda nos anos trinta, integra-se em acções colectivas participando em diversas organizações de carácter social e político, como, o “Socorro Vermelho Internacional” (movimento de solidariedade e apoio às vítimas do nazi – fascismo ), na criação da primeira célula feminina juvenil denominada “A Rosa de Luxemburgo”, na fundação da “Juventude Excursionista da Graça”, que mais tarde deu origem ao “Albarraque Atlético Clube”. Anos mais tarde adere ao Partido Comunista Português desenvolvendo diversas tarefas e acções na luta antifascista. Possuído de dedicado sentimento democrático e humanista e influenciado pelos Professores Bento de Jesus Caraça e Agostinho da Silva, tenta a reorganização e dinamização da Biblioteca da Universidade Popular Portuguesa sendo impedido pelo governo da ditadura. Entretanto é admitido por concurso público como técnico da Emissora Nacional, onde graças à sua acção, a “Casa do Pessoal” passa a ser dirigida democraticamente pelos associados e não sob a tutela da União Nacional como vinha acontecendo. Com o final da segunda guerra mundial, por toda a Europa como em Portugal, desenvolviam-se reivindicações exigindo eleições livres e democráticas. Um pouco por todo o lado foram recolhidos abaixo-assinados, só que os funcionários públicos que assinaram foram de imediato expulsos do seu emprego. Acontece que Hélio Quartin era então funcionário público da Emissora Nacional e como assinava as listas e era elemento integrante da Comissão Distrital de Lisboa em representação dos antifascistas do 1º Bairro, foi também expulso de imediato. Foi um dos fundadores do Movimento de Unidade Democrática – MUD, tendo participado activamente na reunião de 8 de Outubro de 1945 no Centro Republicano Almirante Reis, onde este acontecimento histórico teve lugar. Em Outubro de 1951, Hélio Quartin vem residir para Almada onde permaneceu até ao fim dos seus dias. Em Almada aprofunda as suas convicções e valores democráticos e a luta antifascista. Pela sua exemplar conduta moral e social, rapidamente se integra na vida local, participando activamente na tertúlia do Café Cadeal com grandes figuras almadenses como José Alaiz, Dr. Henrique Barbeitos, Ramiro Ferrão, Dr. Alexandre Castanheira, Mário de Jesus Fernandes e Dr. Herculano Pires, entre outros. Foi sócio da Academia Almadense e integra os seus corpos directivos a partir de 1955. Em 1957 faz-se sócio da Sociedade Recreativa União Pragalense, dando início à execução do projecto das novas instalações do Edifício Sede que então incluía um Cine - Teatro. Na fase de execução acompanhou assiduamente a obra até 1966, ano da sua inauguração. Tudo fazendo sem nada receber, pelo que foi proclamado e aclamado pela colectividade como seu sócio honorário. Em 1967 integra a Comissão de Sócios mandatada para a construção do Parque de Campismo, do Clube de Campismo do Concelho de Almada, na Costa de Caparica. Nessa qualidade elabora, juntamente com o Eng.º Jorge da Silva, o Plano Geral e os Projectos dos Edifícios de Apoio e a sua execução. Hélio Quartin, esteve sempre presente nas várias Campanhas Eleitorais que o regime ia permitindo depois da segunda guerra mundial, nomeadamente nas Campanhas do General Norton de Matos, do Prof. Ruy Luís Gomes, do Dr. Arlindo Vicente e do General Humberto Delgado, em que chegou a disponibilizar a sua casa para reuniões. A este Homem fraterno e generoso, resistente antifascista, democrata e associativista, a Assembleia Municipal de Almada, na Primeira Reunião da Sessão Ordinária referente ao mês de Fevereiro de 2004, realizada no dia 27 de Fevereiro de 2004, aprovou um Voto de Pesar, pelo falecimento de Hélio Quartin, ocorrido a 25 de Dezembro de 2003.